Style Sampler

Layout Style

Patterns for Boxed Mode

Backgrounds for Boxed Mode

Todos os campos são obrigatórios

Fechar

Torção no tornozelo, devo fazer uma ressonância?

  • Home
  • Torção no tornozelo, devo fazer uma ressonância?
Torção no tornozelo, devo fazer uma ressonância?
icon
Torção no tornozelo, devo fazer uma ressonância?

No dia a dia do consultório, me deparo com muitos casos de entorses ou “torções” de tornozelo e são inúmeras as vezes que ao terminar a consulta, escuto as seguintes perguntas: “Mas não vai pedir uma ressonância? E se rompi os ligamentos?”. Vou responder a estas perguntas mais adiante, vamos antes entender o entorse de tornozelo.

As entorses de tornozelo estão entre os traumas mais frequentes tratados pela ortopedia na população mundial. Acometem desde crianças até idosos nas mais variadas atividades diárias, como jogando futebol, correndo, descendo escadas, pulando ou simplesmente andando. São classificados em graus leves, moderados e graves, sendo que após o grau mais grave, pode ocorrer uma fratura, ou seja, a quebra do osso. A articulação do tornozelo está circundada por diversos ligamentos. Dependendo de como o nosso pé está posicionado e a força com que ocorre a entorse, teremos lesões nos diferentes ligamentos que irão variar desde simples distensões, lesões parciais até lesões completas dos ligamentos (fig 1).

drclinic_img_001asNo primeiro atendimento pós entorse de tornozelo, o importante é descartarmos as fraturas, luxações ou subluxações através de radiografias simples. Na ausência destas lesões, damos início ao tratamento das entorses, que irá variar de acordo com o grau de lesão. Lesões leves, geralmente melhoram com repouso, anti-inflamatórios não hormonais e compressas com gelo, já as entorses moderados e graves necessitam de um período de imobilização com gesso ou órteses por um período que pode variar de 3 a 6 semanas, seguido de reabilitação com fisioterapia para restabelecer, principalmente a propriocepção.

E QUANTO A RESSONÂNCIA MAGNÉTICA, QUANDO DEVEMOS FAZER?

Realmente, o melhor exame para avaliarmos as lesões ligamentares é a ressonância, porém o diagnóstico das entorses de tornozelo é clínico, ou seja, através do edema, “inchaço” do tornozelo, se está ou não acompanhado de hematoma ao seu redor e se existem sinais de instabilidade através de testes manuais.

Com exceção dos casos de fraturas e os casos de luxações de tornozelo que mesmo após a redução apresentam uma incongruência articular, todos os demais casos de entorse de tornozelo serão de tratamento conservador, ou seja, não cirúrgico. Não interessa para nós, saber se a lesão ligamentar foi apenas uma distensão, uma rotura parcial ou total, já que o tratamento instituído será de acordo com quadro clínico apresentado.

Portanto na grande maioria dos casos, a ressonância nuclear magnética não deve ser realizada, nos casos de entorse de tornozelo, já que o seu resultado, não irá modificar o tratamento a ser realizado. Mais importante do que realizar a ressonância, é seguir as orientações fornecidas pelo médico e respeitar o período de repouso para que os ligamentos cicatrizem de forma adequada.

Fields marked with an * are required
7
  • Compartilhe